quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Check it out:


https://www.youtube.com/watch?v=a2L24Ie8P1c

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Máquina


Vês aqui a grande Máquina do Mundo,
etérea e elemental, que fabricada
assim foi do Saber, alto e profundo,
que é sem princípio e meta limitada.
...........
Este orbe que, primeiro, vai cercando
os outros mais pequenos que em si tem,
que está com luz tão clara radiando
que a vista cega e a mente vil também,
Empíreo se nomeia, onde logrando
puras almas estão daquele Bem
tamanho, que ele só se entende e alcança,
de quem não há no mundo semelhança.
-Luís de Camões, in «Os Lusíadas» 

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Momento



O tempo que roubas 
é tempo que não recuperas.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Tão perto


Já só quero dormir e sonhar que estou acordado.
Somos sinais de transito. Por aqui, por ali, 
proibido fazer isto, proibido fazer aquilo.
Ecoamos a demência do país.
A felicidade ali tão perto
e nós a chafurdar no deserto.
Não está na moda ser feliz, 
está na moda brincar de ser feliz.
De oásis em oásis se faz a viagem 
e eu já só quero dormir e sonhar 
que estou acordado. 



quinta-feira, 21 de julho de 2016

Mantra


Quero a tua nudez líquida, a tua nudez nua. Quero sentir que o sol afinal continua a nascer dentro de ti, dentro de mim. Quero dar-te o meu querer, quero que o pendures numa corda como roupa molhada. Quero a tua timidez, a tua vergonha. Farei delas girassóis, porque são destemidos e belos como tu. Quero mais que a minha memória de ti, quero-te aqui, a trespassares-me a inquietação. 
Quero as tuas pernas, quero o calor entre elas, quero o teu prazer. 
Quero entregar-me a ti inteiro, na minha mais embaraçada inocência. Quero dar-te a mão, quero sentir que nos temos agora, amanhã, sempre. Quero parar de querer, quero apenas ser contigo, de olhos fechados e tudo vislumbrar. Quero a serenidade do entardecer que um dia imaginamos, entrar pela noite íntima e sem tempo, perder-me dentro de ti e receber o amanhecer como alma acabada de parir.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

A grande ilusão.


Não há duvida que nascer e morrer são os eventos mais importantes que existem na nossa vida. E por isso o que fazemos entre um e outro devia ser importante também. Nós nascemos e morremos para os outros. Devemos viver para nós.
Acredito que a vida e tudo nela é sempre uma progressão, uma ascenção. Como há passagem do tempo, o mesmo vai mudando. Por outro lado, dizem há milénios que tudo isto é uma ilusão. Mas se assim for, há coisas preciosas nesta nossa ilusão.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Dias assim


Entre o ser, o apetecer, o longe e o hibernar, 
está o estar no balançar do mar 
de não pensar nas teias de ideias
 Fechar os olhos, iluminar a visão de.... 
não existir na eternidade de uma idade 
que vai entre um sonho e o espreguiçar. 
Apetece dizer ser ao longe, bocejar ao perto, 
hibernar no renovar do horizonte... 
Há dias assim, dias que são noite e tudo.